Manifesto  

Hack Pela Gastronomia | Bom Gourmet  

Imaginar o futuro é sempre correr um risco – a mente pode vagar mais longe do que a realidade, de fato, irá. Basta relembrar uma antiga ideia do que seria a alimentação no século XXI: pílulas insípidas com macro e micronutrientes para ingerir três vezes ao dia. Assim, sem refogar, nem mastigar nada.

Nem a previsão mais pessimista, no entanto, imaginou uma pandemia que nos tiraria até o almoço do dia a dia no buffet a quilo. O Sars-COV-2, como foi nomeado o novo coronavírus, obrigou o mundo a tomar cuidados redobrados e a dar uma pausa na vida social. O impacto no setor de alimentação no país foi imediato: dos 6 milhões de trabalhadores da área, 1,3 milhão ficaram desempregados nos 100 primeiros dias.

O setor de alimentação no Brasil é responsável por 2,7% do PIB nacional. Existem cerca de 1,1 milhão de restaurantes e segundo levantamento da Abrasel, comer fora de casa representava 32,8% dos gastos dos brasileiros com alimentos.

Segundo pesquisa do instituto Galunion, em parceria com a Associação Nacional dos Restaurantes, 35% dos estabelecimentos fecharam as portas nos primeiros 100 dias da pandemia e 15% dos empresários acreditam que seus negócios não sobreviverão à tormenta econômica que o coronavírus causou e podem fechar as portas até dezembro de 2020.

É hora de inventar os novos tempos. Em setembro, o Bom Gourmet organiza seu primeiro hackathon, um evento voltado à sociedade para encontrarmos, juntos, soluções para este setor que ainda estará em recuperação após o estabelecimento do "novo normal”. Serão 15 dias de maratona on-line para encontrar soluções inovadoras em cinco grandes áreas ligadas à alimentação fora de casa: comunicação, negócios, tecnologia, espaço e comportamento.

Os participantes terão acesso a palestras, mentorias, pesquisas de comportamento do consumidor, entre outros conteúdos, e se dividirão em grupos para desenvolver suas ideias. Os resultados estarão disponíveis em um banco de soluções aberto, construído por uma comunidade gastronômica interdisciplinar, com gente de todo o mundo. Garantir a discussão do futuro de uma cadeia fundamental como é a da alimentação e gastronomia é a nossa contribuição para tirar o travo amargo que a pandemia deixou em nossa garganta.

No período de isolamento social, aprendemos a ressignificar fronteiras e horários: o restaurante do seu bairro nunca esteve tão longe, e o que foi servido à mesa não poderia ser mais antigo. Voltou o pão de fermentação natural, feito em casa, com os erros e acertos de cada padeiro amador (e aquela ajudinha do YouTube). Do café, queremos saber o nome do produtor e de quem torrou o grão. Se for para comprar legumes, que seja na banca do feirante preferido. E assim, voltamos a colocar as relações humanas no meio da comida e vice-versa.

A recuperação econômica será lenta e partirá de um ponto mais difícil do que qualquer recessão pela qual a Humanidade tenha passado. Com o fechamento massivo de empresas, tem-se uma sociedade empobrecida, endividada e com uma lista de prioridades curta e urgente. Mesmo em um cenário de pouca abundância, a alimentação nunca será apenas uma necessidade fisiológica. Comer é também uma atividade social e psicológica: celebrar, compensar, reencontrar, relembrar. De que maneiras vamos expressar esses diferentes comportamentos em um mundo pós-coronavírus e que é o caroço desse angu.

Enquanto a vida encontra um jeito de voltar aos eixos e a nova rotina se estabelece com novos protocolos de higiene, os salões de alguns restaurante voltarão a ter cadeiras, e as cadeiras terão comensais. E o seu prato preferido será servido na louça e não embalado para viagem.

Venha com a gente.


free site design templates

Hack pela gastronomia

O 1º Hack pela Gastronomia é uma realização do Bom Gourmet, plataforma de gastronomia da Gazeta do Povo. Seu grande objetivo é buscar soluções reais para os problemas trazidos pela pandemia de COVID-19 ao setor de food service. Vamos repensar o futuro da alimentação fora do lar juntos! 

Feito com by Bom Gourmet | © Todos os direitos reservados